Você é feliz?

Já se fez essa pergunta? Há quanto tempo? E qual foi a resposta?

Caso seja não, o que lhe falta para que responda sim?

Seja sincero com você mesmo. O que lhe impede de ser feliz?

Para responder às perguntas acima você pensou em si mesmo ou comparou a sua vida à de outra pessoa?

E o que isso tem a ver com emagrecimento? Tudo.

Você já comeu ou come por algum desconforto, ansiedade, tristeza, nervosismo, raiva, tédio, alegria, felicidade, para comemorar?

Muitas vezes comemos por sentimentos desagradáveis, sensações incômodas, como também nos momentos mais festivos de nossas vidas, não é mesmo?

O alimento permeia festas, comemorações, formaturas, aniversários, casamentos, noivados, batizados e, em algumas culturas, está presente em momentos de partida de alguma pessoa, ao falecer alguém.

Penso ser curioso esse valor que damos à comida, que pode representar e significar tanto para nós. Nela depositamos emoções, sentimentos, lembranças inimagináveis, cada qual a seu modo. Mas esse é assunto para um outro post.

Voltando à felicidade. Quando eu estava gorda, acreditava que só seria feliz quando emagrecesse e só eram felizes as pessoas magras. Via uma pessoa magra andando na rua e pensava: “Ah, essa é feliz, também, com esse corpo como poderia não ser?”. Engano meu. Não necessariamente somos felizes magros, como também não é porque a pessoa está fora do padrão de peso definido socialmente como o ideal que não possa ser feliz.

Deixar a felicidade para quando for magro é permitir que a vida escorregue por entre nossos dedos, passe por nós sem nos darmos conta disso. É desperdiçá-la, deixando ir um tempo que jamais voltará…

Que tal procurar ser feliz hoje, só hoje? Sem ter de comer para isso, para se sentir melhor, aliviado. Claro que comer pode nos trazer um bem estar danado, mas quando temos fome biológica, quando nosso corpo nos pede alimento e até a saciedade chegar. Porém, quando não temos mais fome, quando não há necessidade de comida, buscar nela a solução de algo que nos incomoda, de nossos conflitos e crises é uma opção, mas não é a única.

Responda sinceramente: que lugar a comida ocupa em sua felicidade?

Forte abraço,