Dois Senadores da Flórida estão apoiando projetos de lei que podem mudar completamente, para melhor e para pior, a trajetória de quem almeja conseguir um visto de trabalho para os EUA, o H1B.

Bill Nelson, senador democrata, propõe uma redução drástica no número de vistos disponibilizados atualmente. Em contra-partida, o Senador republicano e presidenciável Marco Rubio propõe que o número de vistos de trabalhos disponibilizados anualmente pelo departamento de imigração norte-americano seja triplicado.

Demissão de funcionários da Disney foi estopim.

Em 2014, 250 funcionários da Disney foram demitidos e substituídos por funcionários que vieram para os Estados Unidos com vistos de trabalho, todos contratados por uma empresa de terceirização baseada na Índia. Além de gigantes como a Disney, várias empresas, em grande maioria do ramo tecnológico como a Microsoft e a Oracle apóiam uma política imigratória mais agressiva nos Estados Unidos, já que, historicamente, a indústria tecnológica utiliza a grande maioria das quotas de visto H1B disponibilizada pelo governo norte-americano.

Marco Rubio tem recebido apoio não só público como financeiro, já que Larry Ellison além de ter organizado um evento para angariar fundos para a campanha de Rubio, doou pessoalmente US$ 3 milhões para a campanha do candidato à presidência norte-americana às eleições de 2016.

O visto H1B

O visto H1B é designado para funcionários de empresas baseadas nos EUA. Não basta ser contratado (como é o caso de profissionais liberais).  É preciso que a empresa tenha “controle” sobre as atividades do funcionário, além da capacidade de contratar, pagar, demitir e supervisionar o mesmo.

O cargo ocupado pelo funcionário deve se enquadrar como uma profissão especializada dentro dos critérios impostos pela lei norte-americana, cujas responsabilidades profissionais desses funcionários estejam diretamente relacionadas a essa profissão especializada.

O salário base a ser pago (que pode sempre ser mais, mas nunca menos) é determinado pelo Departamento do Trabalho Americano, que utiliza uma base de dados que combina informações como localização geográfica do cargo a ser ocupado e o cargo para determinar o valor a ser pago, dentre outros fatores.

Preferência é dada para pessoas que possuem, pelo menos nível superior, mas exceções são feitas quando a experiência do candidato, que deve ser documentada, substitui o treinamento e conhecimento que seriam adquiridos durante os anos de estudo.

Posts relacionados: Você qualifica para o visto L-1?   Visto ou status de estudante: o que pode e o que não pode.

Quer ficar informado sobre imigração? Curta nossa página no Facebook.