Será que os cientistas estão nos fazendo comer errado?
Será que os cientistas estão nos fazendo comer errado?

Cada dia uma novidade: ovo pode, mas glúten não. Passados alguns anos não pode ovo, mas pode glúten e assim, nossa saúde vai dançando e se perdendo ao longo dos anos. Acho que é bem mais fácil saber porque muitos cientistas (não todos claro) estão mentindo, deturpando e mudando as informações nutricionais, que saber o que é mesmo saudável ou não. Dinheiro claro!

A área da saúde é muito rica e especificamente a nutrição oferece muitas oportunidades profissionais, mas nada justifica a desonestidade. Vejamos algumas armadilhas “nutricionais” colocadas nas embalagens e nas redes sociais.

– “Novas pesquisas mostram…” e eles nunca mostram as pesquisas.
– “Gordura saturada faz mal para SUA saúde” hoje sabemos que o mal que era atribuído à gordura saturada é devido ao alto consumo de carboidratos de alto índice glicêmico. E todos nós precisamos consumir gorduras saturada, mas em pequenas quantidades.
– “Carboidrato faz mal à SUA saúde.” Não, não é o carboidrato, é o carboidrato refinado e industrializado. Alimentos de origem vegetal são ricos em carboidrato de ótima qualidade.
– “Ovos fazem mal à saúde” ou “Você pode comer quantos ovos desejar” nem um nem outro, com certeza você pode comer ovos, mas nunca uma quantidade absurda como alguns nutricionistas prescrevem.
– “Comer de 3 em 3 horas acelera o seu metabolismo” Não, comer de 3 em 3 horas não permite que seu metabolismo desacelere, são coisas bem diferentes. E isso não se aplica à todas as pessoas. Normalmente as pessoas obesas precisam dessa estratégia quando se trabalha a diminuição das porções das refeições.
– “Você pode substituir refeições por suplementos” Não, nas capsulas e pós não temos os prebióticos e probióticos necessários para nossa saúde intestinal e a absorção das vitaminas é muito melhor quando elas são absorvidas diretamente no alimento ingerido do que das cápsulas.
– “Basta contar as calorias para emagrecer”. Não é verdade porque se você ingerir 100 calorias em açúcar ou 100 calorias em arroz e feijão a diferença será muito grande. Isso porque no caso do açúcar, por ser carboidrato de alto índice glicêmico vai induzir a produção de gordura e no caso do arroz e feijão, existe fibra suficiente para que o carboidrato seja absorvido lentamente, não liberando muita insulina e evitando assim o estímulo na produção de gordura.

Se você tem dúvidas, me envie uma mensagem, terei o maior prazer em ajudar.

Vera Schäfer ("Veruska") é fundadora do Brasileirinho.com. É brasileira, carioca, auto-didata, se interessa por assuntos ligados aos avanços da tecnologia e da ciência, procura aprender tudo que se relaciona à sua paixão por técnicas de computação. Gosta de compartilhar experiências e ajudar pessoas e pequenos negócios a alcançar seus objetivos através do compartilhamento de informações. Emigrou para os E. Unidos em 89, ama o país que a acolheu mas não se afasta do que há de melhor na cultura, na música e na gastronomia do Brasil. 

0 Comments

Comentarios?

Your email address will not be published.