Relacionamentos e Sapatos

Você já evitou tomar uma decisão por medo da dor ou da incerteza do resultado?

A questão é, manter-se na situação também é uma decisão.

Por exemplo, se um relacionamento não está dando certo, não mudar é uma decisão para continuar nele.

Às vezes evitamos a decisão, nos enganando, acreditando que a pessoa que nos magoou irá mudar, mas é mais fácil você mudar o modo como pensa sobre a pessoa do que mudar como a pessoa pensa.

Quanto mais emocionalmente estamos envolvidas, mais difícil tomar uma decisão racional.

Se você tem dúvidas sobre seu atual relacionamento amoroso, se faça o seguinte questionamento: se eu fosse solteira e encontrasse alguém igualzinho com quem estou me relacionando agora, iria desejar me envolver com esta pessoa, ou continuar procurando?

Se você optar por continuar procurando, significa que você deseja mudança.

Já ouvi muitas mulheres dizendo que não terminam um relacionamento ruim, por medo de não encontrar outra pessoa, e ficar sozinha.
Primeiro, se você não for boa companhia para você mesma, não será para ninguém.

Segundo se você não está livre não pode encontrar seu verdadeiro par.

E terceiro quando você se contenta com menos, cria um padrão de insuficiência, pois nunca estará satisfeita, sempre reclamando das mesmas coisas, criando um círculo vicioso de escassez.

Ficar reclamando não te leva a lugar algum, te trava e te torna uma pessoa “chata”, resmungona.

Pare de reclamar, se justificar, e faça o que sabe que precisa fazer. Não consegue fazer sozinha, peça ajuda.
Não sobreviva, viva sua vida plenamente.

Relacionamentos são como sapatos, precisam ser do número certo e confortáveis. Qual foi a vez, que você se apaixonou por um sapato que era um número menor, comprou na esperança que iria “amaciar” e realmente amaciou? Nunca.

O que acontece?

Você sai, ele começa a apertar o seu pé e tirar o juízo, então você fica “louca” para encontrar um lugar para sentar, tirar o bendito, e sentir seus pés livres.
Mas, mesmo assim, não se desfaz dele por puro apego.

Ou aquele sapato que é um número maior, você insiste em acreditar que se colocar a tal da palmilha, vai dar certo. E o que acontece?
Ele fica saindo do seu pé e te faz calos horríveis.

Relacionamentos ruins são como estes sapatos apertados ou grandes, incomodam e deixam marcas, é preciso desapegar.

Nem maior, nem menor que seja do seu número, como se tivesse sido feito por encomenda, especialmente para você!

E sabe de uma coisa? Muitas vezes o melhor mesmo é ficar descalça! 🌺😘

Martha de Sousa é Diretora na Martha de Sousa Group, Strategic Behavioral Mentor, Master Advanced Coach, Palestrante, Fundadora e Ex Presidente da Diretoria Executiva da ABRH-RN (Associação Brasileira de Recursos Humanos – Seccional RN). Graduada, na primeira turma do país, em Administração com Ênfase em RH pela Universidade Castelo Branco, há quase duas décadas direcionou seu foco e atua com desevolvimento de Líderes Alpha, criou um método diferenciado, elaborado com base nos conceitos do The Inner Game de Tim Gallwey o precursor do coaching, (o qual teve a honra de ser treinada em uma convivência de quatro anos, como também staff e co facilitadora da The Inner Game School Brasil), somado aos conceitos e ferramentos de Sir John Whitmore, Kate Ludeman, Eddie Erlandson, Hendre Coetze, Dr. Srini Pillay, Marshall Goldsmith, James McSill com os quais fez suas certificações, entre outros grandes nomes.

0 Comments

Comentarios?

Your email address will not be published.