Existem inúmeras explicações sobre os “benefícios” dos obstáculos que aparecem em nossas vidas.  Muitas são explicações religiosas ou espirituais e eu respeito muito e acredito.  Porém, ao contrário de muitos, eu não acredito que as religiões ou filosofias espiritualistas estejam em discordância com a ciência. Nas mídias sociais lemos diariamente depoimentos, religiosos ou não, sobre a forma como alguma dificuldade resultou em benefícios.  Inúmeras frases de impacto dizem algo parecido e são usadas em processos de coaching e de psicoterapias.

Frases como:

“Podemos encontrar pedras, reclamar delas, tropeçar nelas, escalá-las ou construir algo com elas” Willian A. Ward

“Cada novo desafio que surge na vida é algo muito valioso”

E muitas outras…

Como Coach eu uso e acompanho seus efeitos.  Porém, eu gostaria de falar sobre o assunto dando uma abordagem neurofisiológica, ou seja, falar sobre o assunto usando explicações de como o nosso cérebro funciona.

Existem algumas curiosidades sobre o funcionamento do nosso cérebro que podem explicar muita coisa. Por exemplo, você já se perguntou por que nós ficamos com “aquela musiquinha” que muitas vezes não gostamos, por horas repetindo na nossa cabeça?  Já se perguntou por que gostamos de jogar, de apostar, de adivinhar?

Simples: o nosso cérebro adora se dar bem, adora a sensação de estar certo.

Explicando melhor, quando você sabe a letra de uma música e a repete, para o cérebro, ele está adivinhando a letra. O mesmo ocorre se você ganha um jogo, uma aposta ou uma adivinhação.  Em resumo o cérebro fica feliz. Isso significa que liberamos uma substância que causa essa sensação. Pronto. O cérebro aprendeu.

Mas o que isso tem em comum com os obstáculos na nossa vida?

Todos nós passamos por momentos mais ou menos difíceis. E passamos, ou seja, dificilmente isso é eterno. O momento passa e depois que ele passa, por mais que tenha sido difícil ele deixa uma sensação de alívio e de vitória e conquista.  É isso: mais uma vez o cérebro sente que ganhou um jogo. Ele apostou em uma solução e acertou. Da mesma forma que no jogo, na aposta, na adivinhação, ele se sente recompensado e feliz.

Essa é uma parte do benefício, a outra é que ele (o cérebro) se sente mais capaz, mais confiante e porque não dizer mais forte. A pessoa se sente mais forte e mais confiante.  Houve um aprendizado, o cérebro aprendeu que diante de uma situação X, agindo da forma ABC, o resultado foi vitória.  Agora, cada vez que uma situação similar se apresentar, nosso cérebro irá buscar esse conhecimento para enfrentar a nova situação. Para que? Para ganhar, para adivinhar e claro para ser feliz.

Assim, a cada obstáculo vamos construindo conhecimentos e diferentes formas de ultrapassar nossos obstáculos… e ficamos felizes com isso.


 

 

Quer saber mais sobre esse e outros temas correlatos? Curta nossa página do Facebook.