Há alguns anos ninguém falava, não se ouvia dizer sobre a falta de vitamina D na população. Sempre houve o cuidado de levar os bebês para tomar banho de sol, assim produziriam vitamina D sabidamente importante para a calcificação dos ossos.

De repente, nos últimos anos temos ouvido que temos que tomar doses elevadas de vitamina D e que sem ela teremos muitos problemas.  Interessante isso.  Interessante porque até alguns anos atrás não havia tecnologia para dosar a quantidade de vitamina D no sangue, e se não se sabia porque não se media, como dizer qual é a dose correta em pessoas que não apresentam nenhum sintoma de nada?  Intrigante.

Outro ponto intrigante é que, sabidamente o sol é fundamental para a nossa produção de vitamina D e nunca se usou tanto protetor solar. As pessoas usam protetor solar até para irem trabalhar em escritórios fechados. Estamos diante uma situação contraditória. As pessoas têm falta de vitamina D, a vitamina D é produzida quando se toma sol, mas não podemos tomar sol se usamos bloqueadores solar o tempo todo!

Segundo um endocrinologista da Universidade de Auckland, na Nova Zelândia, Dr. Ian Reid, “A criação de uma pandemia tem grandes implicações econômicas”.  A indústria de suplementação e de exames ganha bilhões por ano com a vitamina D”.
A Sociedade Brasileira de Endocrinologia e Metabologia (Sbem) em um documento publicado em 2014, reuniu evidências científicas sobre os usos e indicações da vitamina D. Nessas diretrizes indicam a necessidade do exame para detectar a vitamina D apenas para pessoas que vivem confinadas, como idosos com dificuldades de locomoção, pessoas com problemas de absorção de nutrientes (caso de quem passou por cirurgias de redução do estômago, por exemplo) ou que tenham problemas ósseos.

Ainda não temos como comprovar se tudo isso é apenas para ganhar dinheiro, se existe alguma coisa de verdade, ou se é totalmente verdade e sim precisamos tomar altas doses de vitamina D para não ficarmos mais doentes.  Contudo, eu acredito sempre no bom senso e em evitar o radicalismo.

É fato que o sol forte pode causar danos à nossa pele e claro devemos usar protetor solar para nos protegermos das queimaduras solares, do envelhecimento precoce da nossa pele, do aparecimento de manchas e de um possível câncer de pele.

É fato também que a ausência de vitamina D pode causar o raquitismo em crianças que estão na fase de construção dos ossos e nos idosos que têm uma diminuição do depósito de cálcio nos ossos. Então, seria interessante obter a vitamina pela alimentação e pelo banho de sol em horários apropriados e pelo tempo necessário.

Os alimentos que contém vitamina D são: gema dos ovos, shitaque fresco, salmão de criação, atum e cavala em conserva e salmão selvagem. Diversificarmos o nosso alimento, ter uma vida com passeios ao ar livre e ao sol podem ser algumas das providências para se combater a falta de vitamina D.