Você conseguiu realizar seu sonho de abrir um pequeno negócio.  Aprendeu que bastava criar uma página no Facebook para divulgar seus produtos ou serviços e assim o fez. O negócio deu certo e de uma hora para outra começou a crescer. A tal “Like Page” começou a não lhe dar espaço ou flexibilidade para que você pudesse expor seus produtos ou serviços da forma como você queria: hoje o tamanho das fotos já não lhe agrada, falta um blog, o carrinho de compra não é do jeito que você gostaria, falta espaço para depoimentos de clientes, o logo não ficou bom no Cover Page, você quer captar emails dos visitantes da sua página mas não tem como,  quer usar as ferramentas que o Google oferece pra monetizar sua página …  A lista de coisas que você gostaria de ter no seu site parece não ter fim.

Aí alguém lhe diz: “O que você precisa é ter um website”.

Para alguns, isso não é problema. Informática deixou de ser um mito principalmente para os mais jovens. Mas para outros, cujo foco ou talento sempre esteve direcionado a outras áreas do negócio, começar a aprender como fazer um site é algo impensável e por vezes não imprescindível nem prático. Acredite: tem gente que ainda prefere ficar longe de um computador porém o talento para tocar seu negócio, que pode ser um bicho de 7 cabeças para muitos gênios da informática, lhe permite contratar serviços que não domina ou nem gosta.

A primeira pergunta que lhe vem à cabeça é: “Por onde começo?”

Naturalmente você precisa antes de tudo encontrar um domínio (www.nomedasuaempresa.com). Esse  nome precisa ter tudo a ver com o seu negócio ou com a forma como você quer ser encontrado na internet. Essa é a parte fácil.

A parte difícil é decidir se você quer criar sua própria página (um risco para quem nunca fez isso antes), contratar uma empresa que o faça (um risco se você não pesquisar corretamente as referências da empresa) e escolher o servidor de hospedagem que vai mostrar seu site para o mundo (outro risco, se você não fizer uma boa pesquisa).

Além disso, mesmo que você domine muito bem o idioma do pais onde vive, na hora de conversar com o suporte técnico de empresas americanas, por exemplo, muitas vezes você se sente como apenas “mais um” e fica perdido no meio de tanta informação e termos técnicos,  principalmente na hora da contratação dos serviços de hospedagem e configuração inicial do seu site.  Nessa hora, lidar com alguém que fale o seu idioma, faz toda a diferença!

The Rebel IdeaConversamos com Nauro Rezende, da The Rebel Idea, empresa com a qual o brasileirinho.com vem trabalhando e pedimos que ele nos falasse sobre o que a empresa dele considera importante para satisfazer as exigências de qualquer empreendedor que deseja firmar sua presença na internet. Eis o que ele disse:

“Como somos, antes de tudo, uma agência de marketing entendemos o quão importante é o bom atendimento. Por isso procuramos saber a necessidade do cliente para  adequarmos as características do plano de hospedagem (“hosting”) aos serviços solicitados.

Embora, como os demais provedores, tenhamos planos com valores fixos anuais, somos flexíveis na configuração do pacote de serviços. Caso o cliente precise de um número maior de banco de dados, por exemplo, isso pode ser configurado no plano, e muitas vezes, sem custo adicional.

Outra vantagem é que conhecemos nossos clientes e eles também nos conhecem, pois desde o início sabemos das necessidades de hospedagem. Este contato mais personalizado é bom para o cliente.

Além disso,  por sermos uma agência de marketing, existe a possibilidade de concentrarmos múltiplos serviços com um só fornecedor. Em nossa carteira de serviços oferecemos desde a criação de logotipo, design e desenvolvimento de website, planos de social mídia e SEO (Search Engine Optimization) até fotografia de produtos e criação de material promocional.

Esta abordagem integrada permite que possamos orientar o cliente em várias frentes, o que faz com que a comunicação da empresa seja uniforme e eficiente.

No aspecto tecnológico, nosso serviço de hospedagem conta com recursos de hardware, software e infraestrutura de alta capacidade garantido que nossos clientes possam usufruir de um serviço de hospedagem de alta-qualidade a um custo adequado às necessidades e orçamento do negócio.”

Portanto, se essa foi a estratégia que você usou para escolher a empresa que está cuidando do seu website ou do seu projeto ainda em andamento, parabéns!  Do contrário, é hora de revisar seus critérios.  Afinal, o Google não perdoa na hora de escolher quais os sites que irão ocupar as primeiras posições no ranking the resultado de pesquisas.

Bons negócios!


Quer saber mais sobre empreendedorismo? Curta nossa página do facebook.