Hoje em dia existem basicamente duas formas de falar sobre obesidade. Algumas pessoas mais preocupadas com a saúde vêm alertando que é um problema de saúde. Sim, a obesidade na área da saúde é tratada como uma enfermidade. Outras pessoas, não menos importantes, tratam a obesidade como um problema social. No entanto, estas duas formas de abordar o mesmo ponto acabam por dificultar a solução de ambas as partes.

Se analisarmos a obesidade socialmente, encontraremos padrões estéticos que hora são aceitos e hora não são mais. Acredito que seria mesmo uma questão de modismo. Cito como exemplo a onda de próteses mamarias de silicone. Há alguns anos atrás, digo nos anos 1970, a moda e o que era lindo eram as mamas pequenas. Hoje o que é tido como bonito são mamas maiores e por isso as próteses mamárias fazem tanto sucesso. Se continuarmos a olhar para a obesidade como algo a ser aceito porque, claro, excluir as pessoas não seria o certo, podemos na verdade estar estabelecendo que a obesidade é normal. E não é.

A aceitação da obesidade acaba auxiliando o obeso a não se tratar. Ele pode, baseado no dever da aceitação social, dizer que está bem e que não é escravo de um padrão social magro. Assim, vai adiando o tratamento. Mas, não se trata disso e sim de uma enfermidade. Ao mesmo tempo existem muitas pessoas que convivem com o obeso e acabam sendo “cúmplices” quando participam da vida dessa pessoa e nada fazem para tratá-la. Todos que estão envolvidos precisam participar do tratamento e isso só será possível com a conscientização da enfermidade.

Ao mesmo tempo, muitas pessoas acabam por acreditar em “milagres”. Buscam qualquer coisa que possa solucionar, ou trazer a saúde de volta, de forma rápida e sem grandes mudanças no estilo de vida. Claro que isso não existe. O que existe, infelizmente, são pessoas sem muito escrúpulos, criando essas soluções mágicas e se aproveitando do modismo da magreza. Um dos melhores exemplos são os chamados sucos “detox”. Se há uma alimentação errada que pode intoxicar a pessoa e também fazer com que ela engorde, o que deve ser mudado é o que se come durante o dia e não continuar a comer errado e achar que a ingestão de um suco pela manhã irá corrigir tudo.

Na verdade, para prevenir e combater várias doenças como cardiopatias, diabetes e pressão alta, temos que cuidar da alimentação, evitar o sedentarismo e ter sono de qualidade. E novamente deve-se tomar cuidado para não cair em armadilhas de exercícios e dietas milagrosas. Buscar um profissional que respeite você e sua condição física é extremamente importante. Não se engorda 10 quilogramas em dois meses, então perder os mesmos 10 quilogramas em dois meses não poderia dar certo.