Mais alguns dados assustadores sobre o hábito de assistir TV por muito tempo

Já dizia minha avó, tudo o que é demais faz mal. Esse dito é conhecido por todos, mas acho que o que nem todos sabem é quantificar o que é demais. Um novo estudo, publicado em neste mês traz alguns dados alarmantes.

A revista Medicine & Science in Sports & Exercise de junho de 2017, mostra em seu artigo uma análise dos hábitos de vida de 423.659 pessoas. Todas essas pessoas eram saudáveis, sem riscos de infarto do miocárdio, acidentes vasculares ou câncer. Eles reportaram seus hábitos de vida por mais de 7 anos. Relataram quanto tempo despendiam assistindo TV ou em seus computadores (não durante o trabalho) e quanto tempo permaneciam em outras atividades como os afazeres da casa, exercícios leves e também os intensos. Durante o tempo do estudo 8928 pessoas morreram, sendo que 3466 eram mulheres e 5462 homens.

Os resultados mostraram que 30 minutos a menos assistindo TV ou nos computadores (tempo de tela) estão associados a um menor risco de mortalidade. Cada 30 minutos a mais de diferença assistindo TV ou no computador foi associado a um risco aumentado de morte por qualquer causa em 1%. Ao passo que 30 minutos a menos assistindo TV ou no computador quando trocado por atividades diárias, mostrou um risco de morde diminuído em 4% e se for feito exercícios nesse tempo o risco de morte diminui em 12%. E talvez o mais assustador é que se a TV for analisada separadamente, aquele risco de 1% a cada 30 minutos a mais de tempo de tela passa a ser 2%.

Mas as análises também mostraram coisas boas. O bom é que entre as atividades diárias que mais aumentam a expectativa de vida é a caminhada por prazer durante a luz do dia. Isso é perfeito para nós que estamos na Flórida que oferece essa oportunidade durante todo o ano. Outro ponto que precisa ser destacado é que estamos falando de 30 minutos. 30 minutos a menos vendo TV e 30 minutos a mais se movimentando. Acredito que esse tempo todos tenham e acredito também que caminhar não é uma atividade cansativa para a grande maioria das pessoas. Outro ponto que eu gostaria de salientar é que não foi avaliada a qualidade de vida das pessoas. Na verdade, o problema não é apenas a morte, mas como se chega até esse momento, quanto tempo doente e com baixa qualidade de vida.

Por outro lado, também não posso deixar de mencionar que estamos falando de 30 minutos apenas, então assistir TV diariamente por muito tempo aumenta ainda mais o risco de morte. O que posso dizer é desligue a TV e vá caminhar com os amigos, família e amores.
WIJNDAELE, KATRIEN; SHARP, STEPHEN J.; WAREHAM, NICHOLAS J.; Brage, SØREN Mortality Risk Reductions from Substituting Screen Time by Discretionary Activities – Medicine & Science in Sports & Exercise: June 2017 – Volume 49 – Issue 6 – p 1111–1119

A Dra. Ivani Manzo atende pessoas pessoalmente ou online, auxiliando a terem uma alimentação mais saudável, encontrando o melhor tipo de atividade física e melhor qualidade de vida.  A Dra. Ivani Manzo é PhD pela Escola Paulista de Medicina da Universidade Federal de São Paulo UNIFESP-EPM.  Há anos estuda o funcionamento do corpo humano. Acredita que a melhor forma de manter a saúde e a qualidade de vida é cuidando da alimentação, sono e fazer exercícios.   Para contato, visite: http://www.myclickcoach.com.

0 Comments

Comentarios?

Your email address will not be published.