TOMAR uma DECISÃO ou MUDAR de OPINIÃO?

Conexões de diversas partes do cérebro com o córtex frontal mostram como os humanos aprendem com as decisões que NÃO tomaram. Uma nova área cerebral, identificada apenas em humanos, parece ser a responsável por nos ajudar a mudar de ideia quando percebemos que fizemos a pior escolha.

Pesquisadores da Universidade de Oxford, na Inglaterra, encontraram no cérebro humano uma região do córtex frontal que não tem atividade equivalente em outros mamíferos. Essa área, envolvida no planejamento estratégico, tomada de decisão e execução de múltiplas tarefas, também monitora o quanto são interessantes as oportunidades perdidas.

Ela esta associada a capacidade de planejar o futuro, ser flexível nas escolhas e aprender com os rumos que não seguimos.

Essa região foi Identificada numa área do cérebro (córtex frontal ventrolateral ) que parece ser exclusivamente humana e que, provavelmente, tem a ver com nossas habilidades cognitivas ( de pensar).

Essa região está envolvida em processos cognitivos sofisticados do homem, como a linguagem e a capacidade de projetar e planejar as ações futuras

Depois de ver em detalhes as conexões de cada parte do córtex frontal ventrolateral, identificaram doze áreas em que ele funcionava de maneiras diversas, que estariam relacionadas à capacidade do homem em ser particularmente bem sucedido em tarefas que requerem planejamento estratégico e tomada de decisão.

Decidir ou Não Decidir?
Essa NÃO é a Questão.
Perceber os Resultados e buscar melhores Opções.
Essa é o ponto.

Decisão

Recompensa ou Perda? São apenas Escolhas.
Como fazemos as nossas escolhas quando temos que perceber se estamos ganhando ou perdendo algo.

Algumas áreas do cérebro estão totalmente envolvidas nessa situação.
AMÍGDALA CEREBRAL ( já falamos dela no artigo do medo) é uma estrutura altamente associada às emoções e responsável por informar o nosso córtex cingulado anterior o quanto uma recompensa nos agrada, o quanto ela vale a pena.

O CÓRTEX CINGULADO ANTERIOR é que avalia os custos e benefícios do problema em questão.
E então, avaliamos como uma outra área do cérebro o NÚCLEO ACCUMBENS, uma região relacionada com as sensações de prazer e recompensa.
Pra cada situação, o histórico de vida, os valores pessoais , a auto imagem (que cada um tem de sí) e as crenças pessoais estão participando ativamente desse momento.
Nesse momento o Córtex parasingulado anterior entra no jogo e envolve as emoções no processo de decisão.
Ai se vai aquele frase: “Decidimos pela razão”.
Isso inclui as decisões futuras.

Essa região faz as suas escolhas baseadas na recompensa emocional.
Fiz X e foi bom. Fiz Y e não foi legal.

Nesse momento entra a insula e coloca dúvidas no processo.
Se escolher X vou perder Isso. Já se escolher Y vou perder aquilo. ( o ISSO e AQUILO fica a critério de cada um)

Já quando as escolhas envolvem sexo, chocolate, jogo, fazer compras ou outras coisas prazerosas quem manda é o Núcleo Accumbens, que libera dopamina e facilita as escolhas para esses itens.

Agora vá a escolha é sua ou não.
Na nossa próxima conversa vamos falar sobre como o cérebro nos ajuda a liderar a Neuroliderança.
Aguarde!