O que é Enxaqueca (ou Migraine)?

A enxaqueca é um distúrbio químico cerebral envolvendo a serotonina e uma série de outros neurotransmissores e seus receptores.

Em conjunto, eles são percebidos como uma espécie de “sistema analgésico interno” do cérebro. Porém são muito mais que isso: representam um sistema de “filtro” dos estímulos sensoriais. A dor é um estímulo sensorial, entre muitos outros. Assim, não é de se admirar que pessoas portadoras de um desequilíbrio nesse sistema ficam predispostas a vários sintomas. A dor de cabeça é apenas um deles. Esses sintomas podem surgir mediante estímulos aparentemente banais, que para outras pessoas não desencadeariam dor.

Entre esses estímulos, podemos enumerar o stress, certos alimentos, ficar muito tempo sem comer, dormir durante o dia, acordar mais tarde que o usual, menstruação, enfim, qualquer saída da rotina pode desencadear uma crise. Estes estímulos são fatores desencadeantes e não causas, dos sintomas.  A causa é o desequilíbrio no sistema mencionado acima.  Este desequilíbrio é o resultado de uma predisposição genética que se manifesta, ou não, mediante fatores ambientais e comportamentais. Daí a importância dos nossos hábitos e estilo de vida: sono, alimentação, movimento e emoções.

Qual o tratamento da Enxaqueca?

Embora a medicina não ofereça a cura da enxaqueca, ela tem tratamento. O controle da enxaqueca é obtido através do tratamento preventivo. Este tratamento possui várias frentes, é multidisciplinar, portanto envolve tanto remédios quanto não remédios. Por não remédios entendem-se importantes mudanças de hábitos. O tratamento preventivo não é com analgésicos, mas serve para disfarçar o fato que existe um desequilíbrio neuroquímico. Em outras palavras, serve para minimizar a frequência, intensidade e duração da dor de cabeça.

O tratamento preventivo pode ser realizado não necessariamente com drogas farmacêuticas. Remédios naturais, acupuntura e outros tratamentos não agressivos existem e podem ser eficazes. O tratamento da enxaqueca não atua na causa. Lembre-se: Como não tem cura, o tratamento preventivo, quando eficaz, funciona apenas como uma “muleta”, escondendo o problema. O objetivo do tratamento preventivo é espaçar as dores de cabeça e demais sintomas. Espera-se também, com o tratamento preventivo, tornar mais fácil e eficaz a resposta aos remédios para crise.

Se o seu médico prescreveu remédios preventivos, nunca deixe esses remédios acabarem: volte para consulta antes! Às vezes, por motivos desconhecidos, estes remédios podem parar de fazer efeito, quando interrompidos e, logo após, retomados. É melhor não arriscar e seguir as orientações de seu médico.

Não interrompa por conta própria um tratamento preventivo, caso pare de ter dor de cabeça.

Pessoas com dores de cabeça diárias ou praticamente diárias, especialmente aquelas que utilizam analgésicos com cafeína diária ou quase diariamente, são submetidas a um pré-tratamento no sentido de cortar o ciclo diário de dor. O motivo da necessidade desse pré-tratamento reside no fato que, na vigência do uso diário desses analgésicos, ao interrompê-lo, a maioria dos pacientes não responde mais ao tratamento preventivo.

Conselhos a serem seguidos por portadores de Enxaquecas:

  • Procure não fumar ou ficar perto de quem fuma;
  • Evite o consumo diário de cafeína (café, refrigerantes, chás estimulantes, entre outros
  • Não tome pílula anticoncepcional.
  • Procure métodos sem hormônios;
  • Vá dormir mais cedo
  • Procure acordar todos os dias no mesmo horário;
  • Fuja do glutamato monossódico (ex: cubinhos de caldo de galinha e outros. Veja rótulos);
  • Exclua o leite de sua dieta;
  • Consuma derivados fermentados do leite, como iogurtes naturais, queijos e kefir;
  • Evite comer doces;
  • Evite o consumo de pães;
  • Evite o consumo de massas;
  • Coma Alimentos naturais, não processados industrialmente: carnes, ovos, peixes, arroz, feijão, salada, legumes, frutas frescas (mas não sucos), iogurte, queijos (sim, queijos! Você sempre ouviu falar que devem ser evitados, mas isso, quase sempre, não é verdade). cogumelos, sal, pimenta, ervas, temperos naturais, raízes.
  • Gengibre e chá de gengibre podem ser particularmente benéficos.
  • Evite carne de frango e salmão, elas podem conter antibióticos entre outros aditivos;
  • Evite o consumo de produtos industrializados. eles podem conter substâncias desencadeantes, como nitritos, sulfitos, etc;
  • Procure consumir carnes de animais criados soltos, à base de alimentação natural e não de ração exclusivamente. O mesmo vale para peixes.
  • Procure consumir ovos de galinhas criadas soltas (“cage free”), ciscando em pasto (galinhas caipiras) e não alimentadas exclusivamente de ração de milho/soja.
  • Se possível, compre frutas, verduras, legumes, sementes e grãos que tenham sido cultivados de maneira sustentável, de preferência sem (ou com o mínimo possível de) agrotóxicos.

    Quer saber mais sobre Saúde e Bem Estar? Curta nossa página do Facebook.