Segundo um relatório anual da Associação Nacional de Corretores de Imóveis, dezesseis por cento de todos os compradores de primeira casa em 2017 eram casais não casados, a maior participação da organização desde 1981, diz Jessica Lautz, diretora de pesquisa e comunicação da NAR.

Por mais que queiramos acreditar em contos de fadas, amor e casamento nem sempre andam juntos. Se você está em um relacionamento sério, casar pode não estar em seus planos mas o sonho de comprar uma casa juntos sim.

Seguem algumas dicas:

Assine um acordo pré-nupcial… para a casa

Nenhum casal quer falar sobre se separar, mas se você vai ser coproprietário, é uma opção.

No contrato deve constar questões básicas como, por exemplo: O que acontece com a propriedade se você se separar? E se um de vocês se tornar inválido ou morrer? Quem paga contas de serviços públicos ou para grandes consertos?

Não “espere as questões virem à tona”, porque sem um acordo escrito as coisas podem ficar confusas muito rapidamente.

Escolha o tipo de título
Existem varias opções para a compra de uma propriedade nos Estados Unidos. Apesar de algumas poderem variar de estado para estado, seguem as opções mais comuns:

Sole ownership (Propriedade exclusiva). Apenas um nome é registrado na escritura e essa pessoa tem todos os direitos e responsabilidades de propriedade.

Joint tenancy (Propriedade conjunta). Cada pessoa possui 50% da propriedade. Se um dos proprietarios vir a falecer, a sua parte transfere automaticamente para o outro.

Tenants in common (inquilinos em comum). Permite a propriedade desigual, portanto você pode ter uma participação de 75% enquanto seu parceiro possui 25%.

Segundo a advogada de Real Estate Leaha Norvell “se o casal não é legalmente casado, no documento de aquisição do imóvel (Deed) constará que eles são “tenants in common” (TIC), onde ambos tem direitos individuais no imóvel. O que significa que na partilha, em caso de falecimento, cada parte poderá transferir seus direitos para um filho ou um herdeiro indicado pelo mesmo em testamento.

O casal também poderá optar por adquirir o imóvel como “joint tenants with rights of survivorship (JTROS)” , onde ambos tem o direito compartilhado no imóvel e, em casos de falecimento, o direito de um dos proprietários passa automaticamente para o proprietário que sobreviveu.

Se o casal decidir se separar, o Título no documento de aquisição do imóvel (Deed) não mudará automaticamente. Para que isso aconteça, o casal deve iniciar uma mudança do Título, o que implicará em novos custos para o registro do novo documento e ambas as partes terão que assinar essa nova documentação.

No caso de falecimento de um dos proprietários, o título na documentação do imóvel não mudará em nada. Se no “Deed” o titulo foi feito como ‘TIC”,  então a parte do indivíduo falecido precisará passar por inventario para que se faça a transferência. Caso o titulo da casa seja feito como JTROS, então os direitos do individuo falecido deverão automaticamente ser transferidos. Nesse caso o proprietário que sobreviveu terá que registrar o atestado de óbito no cartório do condado da propriedade, não ha necessidade de mudança do Deed.”

Seja qual for a opção a ser escolhida, escolham com consciência e em comum acordo. Sempre com a ajuda de um profissional da área legal que assistirá vocês em todas as etapas do contrato.

Apos a decisao tomada, aproveitem sua casa nova e sejam Felizes para Sempre!!!!

Para mais informações:
Leaha Norvell, Esq.
Palmetto Harbor Title, Inc.
561.939.8286 phone
561.923.8277 fax
www.palmettoharbortitle.com

Sobre Elizabeth Alderete

AvatarElizabeth Alderete,  Corretora de Imóveis, Empresária, proprietária da TopStarUSA, Agente de Viagens, Gerente da InvestBrasilUSA, Administradora de Empresas, Decoradora e Paisagista.  Trabalhou na Fundacao Getulio Vargas no Rio de Janeiro e foi Assessora de Comunicação na Bemfam. EMail: [email protected] - Tel (754) 235-0052