Viver no estrangeiro requer valentia e a busca incansável do sonho de uma vida melhor, pois muitas vezes após deixarmos o conforto de casa, familiares, amigos ou empregos, enfim, após deixarmos a segurança e estabilidade que passamos a chamar rotina, o termo passa a ser sinônimo de luta, esperança e sacrifícios.

Ao viver no estrangeiro percebemos que lutamos porque acreditamos que merecemos melhor.

Temos esperança porque somos testemunhas de histórias vitoriosas. Os sacrifícios que nos fazem viver além da mediocridade e muitas vezes nos tornam vítimas de limitações são aceitos devido ao quanto fiéis somos ao sonho.

Para muitos que ainda são indocumentados, os sentimentos acima são gritantes e aquele tão desejável sonho se torna cada vez mais distante.

Oportunidades são raras.

Iniciativas legislativas e eventos tais como o Immigration Reform Hackathon patrocinado pela FWD, uma comunidade tecnológica com a visão de manter o famoso sonho americano (The American Dream) alcançável a todos, através de reformas no atual sistema imigratório do pais, e fundada por grandes como Mark Zuckerberg, Marissa Meyer e Bill Gates, existem para tentar oferecer um caminho além do maior obstáculo que imigrantes indocumentados enfrentam: a universidade.

Sem social security e status de residência legal no pais, estes não podem aplicar para bolsas federais ou participar de muitos dos programas que fazem o custo de uma universidade ser viável.

Diante de toda essa dificuldade e a represa de um sonho, a empreendedora latina, também um dia indocumentada, Sarahi Espinoza Salamanca, resolveu criar um aplicativo chamado Dreamer’s Roadmap para oferecer bolsas a todos aqueles que são indocumentados.

A imagem abaixo mostra uma representação gráfica e bastante intuitiva do percurso e potencial acadêmico de imigrantes indocumentados:
academic-profile-of-collegebound-undocumented-students_519353abb3119_w1500
O aplicativo estará disponível em menos de duas semanas e já foi mencionado na Forbes e diversas outras fontes dentro do Vale do Silício, até mesmo fazendo parcerias com a UC Berkeley e sendo reconhecido pela Casa Branca.

Confira o vídeo abaixo para uma breve sinopse do projeto vindo diretamente de sua fundadora Sarahi Espinoza Salamanca.

[su_youtube url=”https://www.youtube.com/watch?v=8PtiLNfM91w”]

Que o trabalho de Salamanca seja mais um exemplo das vitórias de um estrangeiro e sirva como inspiração para continuar lutando, repleto de esperança e consciente de necessários sacrifícios.

Quer saber mais sobre Formação e Educação? Curta nossa página do Facebook.