Como usar os benefícios da tecnologia para nos aproximarmos de nossos filhos?

Preciso começar falando sobre a idéia do tema do meu artigo de hoje.  Selecionei um texto ontem para usar na aula de inglês com meus alunos, cujo título era Famílias e Tempo.

Esse texto gerou vários debates e reflexões entre os alunos, mas também as possíveis soluções para minimizar essa distância, que vem sendo tão recorrente entre as atuais relações interpessoais.

Quais seriam os benefícios que essa tecnologia poderia nos oferecer?

Comunicação rápida e fácil em nosso dia-a-dia frenético e super ocupado; economia de tempo e dinheiro; agilidade; aproximação de velhos amigos e familiares que moram fisicamente longe uns dos outros; compartilhar momentos com quem está longe, mas gostaria de estar perto; entre outros.

Em contrapartida não há como deixar de pensar nas consequências negativas decorrentes do uso excessivo da tecnologia: diversas situações nas quais estamos perto fisicamente de quem amamos, porém conectados com outras pessoas que estão longe; diminuição da conversa, do olho no olho, do toque e principalmente de vivenciar aquilo que está em nossa volta e não em nosso mundo virtual.

Levando em consideração o poder da tecnologia em nossas vidas hoje e a falta que sentimos quando somos privados desses recursos, precisamos mostrar aos nossos filhos que eles são mais importantes do que aquela mensagem do whatsapp que estávamos esperando ou aquele video engraçado que uma amiga nos enviou ou até mesmo um texto educativo, cujo título chamou nossa atenção.

Que tal usarmos as mídias sociais, aplicativos e afins enquanto eles estão na escola?

Que tal combinarmos um horário específico para que todos os “apetrechos internéticos/tecnológicos” descansem dentro do armário da sala ou do quarto da mamãe quando estivermos todos dentro de casa?

Que tal estabelecermos um horário limite para uso livre desses aparatos?

Que tal mandarmos mensagem de texto, email ou inbox para nossos filhos adolescentes quando temos um assunto a tratar? (Perceba que esse é um recurso para nos aproximar deles e gerar uma D.R. construtiva quando nos encontrarmos em casa)

Quem disse que esse desafio seria fácil?

O mais importante é tentarmos preservar as relações interpessoais, emocionais e afetivas para que não nos arrependamos do tempo que ficou pra trás, sem deixar de aproveitar os benefícios da tecnologia nos dias de hoje.


Quer saber mais sobre Formação e Educação? Curta nossa página do Facebook.